Escolha a próxima leitura aqui! Compre livros online. Dicas de livros de Contos e Crônicas dos principais cronistas da Literatura Brasileira:

 

As Cem Melhores Crônicas Brasileiras - Vários Autores: Organizada pelo jornalista e cronista Joaquim Ferreira dos Santos, esta antologia reúne as crônicas essenciais e inesquecíveis da literatura brasileira, de autores como Rubem Braga, João Ubaldo Ribeiro, Humberto de Campos, Carlos Heitor Cony. Este livro fecha a série que já lançou Os cem melhores contos brasileiros e Os cem melhores poemas.

 

Ferreira Gular Crônicas para Jovens - Ferreira Gullar: A leitura é rigorosamente essencial. É o conhecimento, a cultura, que fazem os homens especiais, diferentes dos outros animais. O homem pensa, se inventa o tempo todo, e para isso ele precisa da leitura. A leitura é constitutiva do ser humano e dá sentido à sua existência. (…) Eu demoro muito a escrever. Só escrevo quando algo da realidade, antes não percebido, se revela para mim. Aí vem a necessidade de escrever. Os comentários de Ferreira Gullar fazem parte de uma entrevista realizada especialmente para esta antologia de crônicas. Ora de forma divertida, ora de forma mais reflexiva o autor aborda uma variedade de assuntos, entre eles os acontecimentos do dia a dia, o Brasil e os brasileiros, o período da ditadura, o encantamento com a infância, memórias, o início de sua carreira, amigos.

 

Confissões de Minas - Carlos Drummond de Andrade: Primeira reunião de artigos, crônicas, ensaios, notas e reflexões do autor de Sentimento do mundo.
'É um texto de prosa, assinado por quem preferiu quase sempre exprimir-se em poesia', explica Carlos Drummond de Andrade na apresentação ao seu primeiro livro em prosa, publicado em 1944. Esta coletânea de ensaios, que perfazem um arco de onze anos, reflete com linguagem despretensiosa e elegante uma época em verdadeira ebulição. Seja para refletir sobre política – a ascensão de Hitler, a eclosão da Segunda Guerra, a escalada do fascismo, a batalha de Stalingrado –, seja para descrever a cena literária das primeiras décadas do século XX, Drummond se revela um excepcional prosador, sempre atento às marcas do seu tempo.
Posfácio de Milton Ohata.

 

Feliz Ano Novo - Rubem Fonseca: Feliz ano novo, lançado em 1975, teve sua publicação e circulação proibidas em todo o território nacional um ano mais tarde, sendo recolhido pelo Departamento de Polícia Federal, sob a alegação de conter 'matéria contrária à moral e aos bons costumes'. O regime autoritário, que tentava à força encobrir os problemas que compunham a face negra do país, não suportou a linguagem dessa coleção de contos que podem traduzir ficcionalmente a verdadeira fratura exposta do corpo social.

 

A Legião Estrangeira - Clarice Lispector: 'Há neste livro uma parte significativa da ampla poética de Clarice Lispector. Conforme afirma quem conduz a narração no primeiro dos admiráveis e extasiantes contos aqui dispostos por orgânica sabedoria – “as palavras me antecedem e ultrapassam, elas me tentam e me modificam, e se não tomo cuidado será tarde demais as coisas serão ditas sem eu as ter dito”. Dessa prova de poder e de relativa independência da língua, extrai-se a própria substância de uma arte verbal capaz de articular diferentes tipos de registros, que obedecem à variedade e mutação dos estados de espírito, bem como à variedade e mutação das experiências (observadas ou imaginadas, sempre intensamente vividas). Precaver-se ante a palavra e a ela entregar-se, eis o modo possível e laborioso de escrita – ajustar língua, conhecimento, percepção e disponibilidade. Infiltrar, assim, no espaço do habitual, orações complexas, desdobráveis, provocadoras de grandes distúrbios de rumos e de expectativas, ao lado de frases retas, curtas, certeiras e velozes. 

Confira também